10 mandamentos do aquarista responsável

Para cada espécie aquática, existe um conjunto de condições nas quais ela pode ser mantida em cativeiro – Foto: Arquivo pessoal
Tenha os animais de seu aquário como pets e garanta saúde e bem-estar para todos eles 

Muito se fala sobre guarda responsável de cães e gatos, de como é importante garantir a saúde e o bem-estar desses animais de estimação. Mas e no aquarismo? Peixes também são animais de estimação e merecem ter seu bem-estar garantido. O aquarista responsável é baseado na busca, aprendizado, desenvolvimento e promoção da consciência a respeito destas condições e procedimentos, para que a nossa prática amadora ou profissional do hobby não ocorra às custas do bem-estar dos nossos animais de estimação nem em detrimento do ecossistema.

Segundo princípios desenvolvidos pelo governo inglês (Farm Animal Welfare Council) e adotados por organizações internacionais da área de bem-estar animal, as 5 liberdades dos animais que devem ser garantidas são: estar livre de fome e sede; estar livre de desconforto; estar livre de dor, doença e injúria; ter liberdade para expressar os comportamentos naturais da espécie; estar livre de medo e de estresse. Assim, a seguir, listo regras básicas que todo aquarista deve ter sempre em mente e seguir à risca. 

1 – Estude muito antes de tudo: conheça bem o organismo aquático (peixe, coral, camarão etc.) que está comprando (comportamento, hábitos alimentares, tamanho máximo, necessidades especificas). Para cada espécie aquática, existe um conjunto de condições acessíveis (tamanho mínimo de aquário, companheiros, parâmetros da água, nutrição etc.) nas quais ela pode ser mantida apropriadamente em cativeiro sem perda geral na sua qualidade de vida.

2 – Cuide do ambiente dos seres vivos: invista em qualidade de água (filtragem, condicionadores, testes) e realize as manutenções necessárias (trocas de água regulares, sifonamento, limpeza dos filtros). aquarista responsável

3 – Alimente mais de uma vez ao dia: sempre de acordo com as necessidades do animal, e varie sempre que puder, sem deixar sobras após alguns minutos.

4 – Fique atento: Observe diariamente em seu aquário comportamentos naturais e aparência dos animais, funcionamento dos equipamentos e água (que deve estar sempre incolor e inodora).

5 – No transporte, evite: claridade, movimentos bruscos, mudanças de temperatura e demorar demais. 

6 – Na chegada ao novo lar: coloque o saquinho dentro do aquário por 15 minutos (para igualar a temperatura), depois coloque pequenas quantidades de água no saquinho durante 10 minutos e só então solte o peixe ou invertebrado sem a água no aquário – descartando a água do saquinho.

7 – Dê qualidade de vida: “viver” é diferente de “sobreviver”, portanto cuidado ao comprar muitos animais para seu aquário e superlotar o ambiente. Dê condições de espaço e abrigo. Converse com seu lojista e se informe! 

8 – Escolha das espécies: saiba “misturar” as diferentes espécies no aquário, que tenham comportamentos e padrões de água e alimentação similares, para viverem saudáveis e em harmonia. 

9 – Temperatura do aquário: ela deve ser mantida estável para seu aquário (26 a 28 graus), utilizando equipamentos apropriados para aquecer (termostato com aquecedor) ou para esfriar (chillers) quando necessário e dependendo da época do ano e região do país. aquarista responsável

10 – Preserve o meio ambiente: para cada espécie aquática, existe um conjunto de procedimentos acessíveis para desenvolver programas de reprodução comercial ou de coleta controlada, de forma a garantir um desenvolvimento sustentável para o ramo de aquarismo sem causar ameaça a longo prazo para as populações selvagens.

Observe diariamente em seu aquário comportamentos naturais e aparência dos animais, funcionamento dos equipamentos e água – Foto: M.V. Arthur Azevedo

Por: Ivan Oliveira

Com mais de 25 anos de experiência no mercado de aquarismo, é proprietário da Aquariomania, atacado de peixes, produtos para aquariofilia e e-commerce  (www.aquariomania.shop), de Fortaleza, sócio-proprietário da Piscicultura Tanganyika no setor de peixes e corais marinhos e vice-presidente da Associação Brasileira de Lojas de Aquariofilia (ABLA).


Clique aqui e adquirá já a edição 490 da Cães & Cia!